Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]











Protex Sport - O Creme do Desporto

por Tralhas, em 14.03.15

sportex.jpg

Sabem que a corrida e o trail é das coisas que mais AMO fazer :)

Correr em trail ou longas distâncias sabe a liberdade, esforço, dedicação e requer o tal do mindfulness (a plena atenção)!

No dia-a-dia uma parte da nossa vida conseguimos planear, mas outras situações que acontecem não conseguimos. E nas corridas acontece exatamente o mesmo!

Gosto de planear uma corrida naquilo que consigo controlar, como por exemplo as meias certas, as sapatilhas que me trazem conforto... etc. No entanto, quando aparecem as bolhas ao fim de alguns quilometros torna-se difícil praticar o mindfulness eheheh por isso mesmo o melhor é evitá-las!!

Em 2013, fiz um post porque a Protex Sport estava a oferecer vales de desconto e manifestei o quanto aprecio este produto :)

Com o passar do tempo, deixei de comprar por burrice... no Trail da Ericeira acabei com uma bolha GIGANTE na planta do pé (merecida!), agora só vos posso dizer: sem creminho Protex jamais!!!

Há um spray espetacular para colocar antes da atividade desportiva que diz "Refrescante para os Pés" e depois coloco montes de creme principalmente à noite e reforço quando venho duma corrida :) depois meia de descanso e bora trabalhar!

Também coloco o spray antes do cycling... tão fresquinho!

Deixo-vos a foto em que de uma semana para a outra as minhas bolhas, com corrida contínua desapareceram :) Adoro, adoro, a-do-ro! Não queria enojar os leitores com fotos da minha planta do pé antes :D

Agora que vem aí a corrida da Ponte não se esqueçam que este creme é económico e resulta mesmo, podem ganhar dorsais no facebook da Protex Sport.

Autoria e outros dados (tags, etc)


A minha prova no Ericeira Trail 20+

por Tralhas, em 01.01.15

trailericeira.jpg

Fui ao Ericeira Trail 20+ com o dorsal 245, e desta vez não deu para o pódio fiquei em 4º geral e 3º escalão.

Valeu acima de tudo pela experiência, uma vez que geri mal a prova :( estava com receio, por dois motivos: não corria há uma semana, e apareceu-me uma dor muito estranha junto ao tornozelo - felizmente o meu massagista disse que eu podia participar no trail desde que fosse com o pé ligado, não era tendinite.

Assim fiz, e não tive qualquer dor! :) No entanto, e uma vez que seriam pelo menos 2 horas a correr joguei pelo seguro e nos primeiros quilómetros fui a uma velocidade bastante constante mas não rápida o suficiente.

ericeira2.jpg

O início da prova foi duro devido ao frio, diferentes tipos de terreno, subidas, gente aos molhos, e o meu psicológico estava afetado. Levei um litro de água na mochila e um gel que me ajudou a meio da corrida a recuperar.

Fui de calças Asics e de sapatilhas Salomon Speedcross 3 que mais uma vez se revelaram as melhores aliadas tanto nas descidas como na lama - não deixam escorregar.

Apontei para a distância da meia maratona, e fiz um sprint aos 20km, o que me prejudicou gravemente mais tarde nos últimos metros... fiquei sem reservas de energia e tive de caminhar na última subida... geri mal a prova.

Também relaxei, pois qualquer resultado neste trail seria uma vitória pois nem o estava a contar fazer e muito menos chegar ao fim :) iria depender do meu pézito!

Collage.jpg

Nessa noite, os meus pés estavam a arder! Surgiu-me uma bolha gigante na planta do pé, e algumas mazelas de gravidade inferior :)

Em resumo, foi uma prova bastante agradável pela companhia principalmente, porque se não fosse o grupinho a puxar-me não ia de certeza. Por preguiça.

 Algumas fotos são do Sedentário a Maratonista

Distância: 22,30km
Tempo: 2:13:45
Ritmo Médio 6:00 min/km
Cadência média: 167 ppm
Oscilação Vertical média: 7,8cm
RC Máximo: 187 bpm

Autoria e outros dados (tags, etc)


Corrida do Monge 2014

por Tralhas, em 24.11.14

corrida11domonge.jpg

A Corrida do Monge resume-se a uma palavra: SUBIDAS. Não são apenas subidas, mas elas estão estrategicamente posicionadas para lixar a malta :D são 11,5km. Levei a minha amiga Cláudia para me acompanhar, porque ela dizia "Maria Catarina, tu livra-te de subir ao pódio e eu não ver!!"... vejam a responsa de fazer uma boa prova! Tinha treinado bastante, estava bem e no dia anterior não fui correr para aquecer o músculo o que me deixou algo insegura.

O meu pequeno almoço é sempre bastante básico galão com Alpro Soya, pão torrado com mel e manteiga. Quando chegamos a Malveira da Serra o tempo estava espetacular, previa-se chuva mas pouco ou nada choveu e o Sol ainda espreitou no final :)

Cláudia: "Quanto tempo vais demorar? "

Eu: "1h10 :) "

Screen Shot 2014-11-23 at 22.28.13.png

Levei o meu querido equipamento Salomon, que é super confortável, leve, e deixa o meu corpo respirar... não sinto a sensação de "sufoco" que algumas t-shirts técnicas deixam.

Adorei a forma tradicional como a prova está organizada do início ao fim. O dorsal não tem chip, e antes da partida vai tudo em fila e está um senhor a apontar o número de cada dorsal numa folha de papel com uma caneta bic :) 

No final, por ordem de chegada outro senhor "espeta" num palito cada dorsal e depois são afixadas as listas das classificações finais. No início estava apreensiva com este tipo de organização, mas revelou-se bastante eficiente e haviam bastantes (montes) de voluntários e bombeiros principalmente em zonas críticas. O percurso era tricky. 

Haviam duas opções: medo e desconfiança a cada trilho e jogar pelo seguro; ou aproveitar para abrir onde os outros estão frágeis... e como correr 90% é psicológico optei pela segunda e acho que foi isso que me levou ao pódio.

corridadomonge.jpg

Levei as Salomon Speedcross 3 que embora bastante estruturadas para entrar a abrir num trail, revelaram-se excelentes amigas nos trilhos mais profundos, nas pontes de "cepo", no chão invadido por folhas das árvores do Outono. Não escorreguei, e fui sempre a abrir, sem medo.

O meu problema de abrandar ultrapassei-o no trilho mais difícil que fiz nos últimos meses :) como é possível? Parece que quando é mais difícil, é quando damos mais de nós!

Aos 5 km já eu estava estourada, não tinha parado vez nenhuma e tive de abrandar numa subida. Foi aí que deixei de ver a terceira classificada :) Depois nos 8,5 km voltei a encontrá-la e segundo a Carina "dei luta". Mas estaria para vir a pior subida de todas, e aí sim foi a maior quebra pois já tinha comido há bastante tempo, tinha o corpo já em sofrimento mas sem dores. Psicologicamente continuava forte porque não podia deitar fora uma prova tão boa que tinha feito até ali!

Um senhor ainda me disse que eu estava muito amarela e tinha de pôr a cabeça para cima... iria começar a vomitar eheh Bom, segui os conselhos e não vomitei.

corridadomonge2.jpg

Cheguei ao fim feliz, muito feliz! Porque sabia que na geral estava em 5º, só não sabia que no meu escalão estaria em 3º :) Grande surpresa para mim... recebi dois troféus numa prova difícil.

E a companhia não podia ter sido melhor, tanto nos treinos como na prova :)

Estava meio constipada e mesmo assim tive de tomar banho de água fria. Acho que não piorei, e fartei-me de comer e beber no fim da corrida. Pão com chouriço que ofereceram, sumo de laranja, barrita Recovery, Powerade, ... e água!

Durante a prova, apenas bebi 33cl que levei numa garrafa pequenina de água com 4 Eletrolytes Gold Nutrition. Sabe-me bem, e repõe-me o sódio no corpo.

Fiz 1h10 :)

salomon

RC Máximo: 186 bpm
Ritmo médio: 6:28 min/km
Cadência média: 165 ppm
Distância: 11,5 km

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Corre Jamor 2014

por Tralhas, em 23.11.14

correjamor1.jpg

O ano passado não fui ao Corre Jamor, basicamente porque apenas andava focada em longas distâncias (mais de 20km). Levantar cedo a um fim de semana, tomar o pequeno almoço, deslocar-me, gastar recursos, e tudo o mais para correr 10km?! Estava fora de questão.

Entretanto, como fiquei doente e estive parada decidi começar neste tipo de provas :) ganhei-lhe o gostinho e decidi ir ao Corre Jamor - que é mais mini-trail do que estrada! Mas um trail bastante soft...alguma lama, algumas subidas mas nada do que os verdadeiros corredores de trail estão habituados :D

Fui então com o meu corta-vento Salomon, porque se avizinhava frio, chuva e vento. Tive muitas dúvidas sobre que sapatilhas levar para esta corrida... porque não percebia se ia escorregar com as minhas de estrada, ou se por outro lado iria precisar de algo mais robusto de trail. Decidi então levar as Skechers GoRun Ultra. São extremamente leves, deixam um excelente rasto, confortáveis e revelaram-se uma excelente opção :)

correjamor2.jpg

Gosto sempre de ir bastante cedo para entrar no ambiente da coisa, aliás vou tão cedo que quando a corrida começa já eu estou fartinhaaaaa e não me apetece correr :D

Ainda nem estavamos no aquecimento começou a chover, chover... abrigamo-nos na tenda das massagens que fazem no final :D Ora, adivinhem quem saiu de lá fresquinha que nem alface?! O João (massagista da EMMA) fez-me uma super massagem enquanto aguardavamos que o tempo melhorasse. Encontrei por lá o Paulo, que me ajudou a superar algumas dificuldades :) Ele deu-me o braço e mel, puxou-me nas subidas e empurrou-me no sprint final :D a ele agradeço o meu 5º lugar.

correjamor2014.jpg

 Depois do sinal da partida é o costume, correr sempre a abrir. Mas nesta prova não consegui corrigir o meu "defeito" de ir muito bem a uma excelente passada, e de repente, do nada, começar a abrandar... Como se tivesse uma barreira que não me deixasse avançar tipo "já chega" :P Ainda assim, consegui uma excelente classificação tendo em conta o percurso :) beneficiei por ser um fim de semana de muitas provas, em que as grandes atletas andavam por aí distribuídas! eheh

correjamor.jpg

Fui pelo Club ANA, por isso o meu dorsal ficou mais económico e ainda vinha com os vales de desconto da Alpro :D 

RC Máximo: 189 bpm
Distância: 10km
Ritmo médio: 4:59 min/km
Cadência média: 176 ppm

Classificação: 5º lugar (geral feminina)

Sapatilhas: Skechers Gorun Ultra

Autoria e outros dados (tags, etc)


Trail Noturno por Monsanto

por Tralhas, em 06.06.14

 E que tal um trilho noturno por Monsanto?

Desta vez, levei as minhas Salomon Speedcross 3, e não me deixaram minimamente ficar mal... o meu desempenho deve-se sobretudo a este calçado, até porque em descidas íngremes são elas que agarram ao solo duma forma mágica!

Fizemos 12 km e pouco, saímos ainda com a luz do dia às 20:30 mas rapidamente caiu a noite... o que é bom porque assim podemos fazer o nosso xixi no meio do mato que ninguém vê :D 

Levei comigo a estreante Guida que pode não ter aguentado muito tempo, mas ganhou a quem ficou no sofá! Eu e o Marco levamos a Guida de volta, e tivemos de recuperar o tempo perdido... e encontrar o resto do grupo lá pelo mato!

Fomos sempre a subir, e com velocidade!

Viemos a encontrar o resto do grupo depois de uns telefonemas, na "subida do cozido" eheh a subida tem 2km e tem um nível de dificuldade bastante acentuado.

Mesmo com o joelho ainda lesionado da tendinite, não tive dores nenhumas, e prossegui normalmente :) não caí nem sofri escoriações... desta vez!!

O que mais gosto no trail é o total controlo que temos de ter dos nossos passos, porque um pé em falso à velocidade que vamos pode significar uma lesão grave; o que em estrada não sucede, podemos ir bem mais relaxados porque sabemos que não vai aparecer do nada uma raíz de uma árvore centenária para nós tropeçarmos :D

O tempo ajudou, pouco vento e pouco frio. Como levo tempo a suar tive de levar corta-vento, e o da imagem comprei por 15€ na SportsDirect.

O grupo é espetacular, aquele espírito de entreajuda faz-nos elevar o espírito! E são conhecedores de Monsanto, thank god! Um deles, é que desenha no GPS o percurso e nós vamos atrás de lanterninhas acesas :)

Como estava com pouca bateria no iPhone não fiz o tracking da minha corrida :(

Quando cheguei a casa por volta das 22:30, banho, xixi, cama :)

Autoria e outros dados (tags, etc)


Salomon Speedcross 3 - Trail Running

por Tralhas, em 19.05.14

Hello trail running :D

Adquiri este modelo de sapatilhas para trail da Solomon, Speedcross 3. É o modelo mais icónico da Solomon, e mais consensual no seio dos corredores de trail. Devido à sua estrutura firme, durável e ao conforto e estabilidade que proporciona mesmo em trails mais sinuosos. Obviamente que não estou à espera de ser a atleta mais ágil do monte com estas sapatilhas, mas que serei bem equipada sim!
O que permite arriscar mais sabendo que posso não me lesionar facilmente :)

 

 

A biqueira é reforçada por isso conto não ficar com os dedos pisados com qualquer tronco ou pedra :D já as estou a imaginar todas enlameadas, com ervas e fetos e eu a escová-las para ficarem limpinhas... tarefa que será facilitada pelo tipo de tecido da estrutura.

Além de tudo, a palmilha Ortholite vai-me dar aquele extra conforto e vai-me proporcionar estabilidade ao tornozelo, desgastando menos este corpinho bom :D

A cerejinha no topo é o facto do cordão depois de apertado se esconder por dentro da "língua", não ficando agarrado aos elementos da natureza enquanto corro livremente pelas montanhas, tipo Heidi :D 

Preço no El Corte Inglês: 99€

Preço médio de lojas: 119€

Pé calçado: tive de comprar 40! Sendo que o meu pé é um 37, sapatilhas Asics 39, e sapatilhas adidas 38. A estrutura da sapatilha tem um número muito particular, uma vez que tem de ter folga maior devido às descidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D






Instagram